V Marcas da Memória encerra-se com pesquisas potentes e atuais sobre o negacionismo - Unisul
  • PPGCL

  • Notícias PPGCL

  • V Marcas da Memória encerra-se com pesquisas potentes e atuais sobre o negacionismo

Notícias do Programa

Saiba tudo o que acontece no PPGCL

V Marcas da Memória encerra-se com pesquisas potentes e atuais sobre o negacionismo

Desmonte do ensino superior, disputa de narrativas e contrarrumores foram os temas que marcaram as apresentações dos simposiastas no último dia de evento

Como se apresenta o negacionismo? Quais condições sócio-históricas e políticas nos ajudam a entender sua formação? E, principalmente, como resistir a ele? Foram com essas provocações que os coordenadores Israel Vieira Pereira (PPGCL-Unisul) e Leonardo Conedera (UDESC) deram início ao último simpósio do V Marcas da Memória. Perguntas que se enlaçaram com os trabalhos apresentados por Cecília Brancher de Oliveira (USP), Renata Adriana de Souza (UNICENTRO) e Juliana da Silveira (UNISUL).

Cecília Brancher de Oliveira, com o tema “Modernização conservadora e heteronomia: a reforma universitária consentida de 1968”, trouxe como tema central o projeto de desmonte do ensino superior no Brasil e como a reforma universitária da ditadura militar ainda reverbera atualmente.

No seu trabalho, Cecília buscou explorar a maneira como a reforma de 68 incorporou de forma conservadora as tendências de modernização do ensino superior brasileiro e como esse processo excluiu as demandas democratizantes que vinham do movimento popular em defesa da reforma universitária. “Isso contribuiu para o estímulo do crescimento do ensino superior privado, para esse processo de apropriação do conhecimento produzido nas nossas universidades pelo capital internacional, entre uma série de outros resultados”, conclui a pesquisadora.

Na sequência, Renata Adriana de Souza apresentou pesquisa abordando, entre outros tópicos, a disputa de narrativas e a hegemonia dos grandes conglomerados midiáticos. Com o tema “Documentário, Memória, Resistência”, Renata partiu dos depoimentos do documentário “A Nossa Bandeira Jamais Será Vermelha”, de Pablo López Guelli, para mostrar o domínio estabelecido pelos meios de comunicação hegemônicos no Brasil.

Para Renata, embora hoje o posicionamento desses veículos seja contrário ao governo Bolsonaro, não podemos esquecer que a comunicação é monopolizada. “Esses conglomerados controlam a produção de narrativas jornalísticas, alinhando seus interesses a de uma elite com poder de mando em nosso país”, complementa.

Encerrando a apresentação de trabalhos, Juliana da Silveira apresentou sua pesquisa em andamento sobre rumores, contrarrumores e efeito rumor no contexto da pandemia de covid-19. Com o tema “‘O primo do porteiro aqui do prédio!’: rumores, robôs e negacionismo”, Juliana trouxe um recorte do objeto de pesquisa para, em seguida, realizar o gesto de análise.

“Neste trabalho eu busquei dar visibilidade para o modo como esses sentidos contrarrumorais apontam para uma relação muito singular entre política, as mídias e as tecnologias de linguagem, sobretudo os aplicativos de mensagens e as redes sociais. Busquei pensar aqui essa relação mostrando como o discurso do governo se apresenta como um discurso ordinário, se valendo de mecanismos técnicos que forjam a fala e a opinião pública, fazendo falar a seu favor”, explica Juliana.

Após as apresentações, os coordenadores fizeram a mediação do debate entre os simposiastas com as perguntas e comentários feitos pelo público. Os trabalhos apresentados trouxeram não só um encerramento forte para o evento, como deixaram reverberando a necessidade de compreender o passado para resistir no presente.

Finalizado o simpósio, aconteceu a sessão de encerramento do evento que contou com a presença do professor Fábio José Rauen, coordenador do PPGCL, e das professoras Andreia Daltoé, Giovanna Flores e Juliana da Silveira, organizadoras do evento. Marcada pela emoção, a sessão não apenas enalteceu e agradeceu a participação de todas as pessoas e instituições que viabilizaram o evento, mas, sobretudo, lançou as bases para a sexta edição, a ser desenvolvida em 2023.

Para ver o simpósio e a sessão de encerramento, clique em: https://youtu.be/2vz7_J5zj8U.

Texto: Thaís Teixeira. Revisão: Debbie Mello Noble.

PPGCL

Loading...