Educação Especial | Universidade do Sul de SC - Cursos Presenciais e EaD

Educação Especial

Formando sujeitos ativos no ensino-aprendizagem e na bidocência

O curso de Educação Especial da Unisul é uma Licenciatura de nível superior, que oferece ao aluno a possibilidade de tornar-se um docente ativo na prática do ensino-aprendizagem em turmas regulares da Educação Básica.

Prepara os alunos para as diversas áreas da educação especial/inclusiva, tornando-os aptos para atuar na bidocência com excelência e pró-atividade em sala de aula, prontos para planejar, ministrar, mediar e avaliar o processo de ensino.

O Curso se propõe ao desafio de ressignificar os modelos educacionais atuais, compreendendo o ser humano em sua singularidade, a fim de que todos tenham as mesmas condições de aprendizagem. Prioriza uma abordagem teórico-prática articulada, não apenas com a realidade “escolar”, mas também com o meio social em que está inserido, buscando alternativas de inovação didático-pedagógicas que contribuam para o avanço na construção de conhecimento.

Acesse os tópicos abaixo para conhecer o Curso.

Objetivos e perfil do profissional+

O Curso tem como objetivo formar professores para a Educação Especial em curso de Licenciatura, Graduação Plena, em nível superior, para atuar nos diferentes serviços de atendimento educacional especializado e em turmas regulares da Educação Básica na perspectiva da bidocência.

Perfil do profissional formado

Têm-se como perfil do egresso: professor de Educação Especial formado em curso de Licenciatura, Graduação Plena, em nível superior, com atuação nos diferentes serviços de atendimento educacional especializado e em turmas regulares da educação básica na perspectiva da bidocência.

Para tanto, deverá ser capaz de:

  • Identificar as necessidades educacionais especiais;
  • Definir e implementar respostas educativas a essas necessidades;
  • Apoiar o professor da classe comum;
  • Atuar nos processos de desenvolvimento e aprendizagem dos alunos, desenvolvendo estratégias de flexibilização, adaptação curricular e práticas pedagógicas alternativas;
  • Construir conhecimentos gerais para o exercício da docência e conhecimentos específicos da área;
  • Aprofundar o caráter interativo e interdisciplinar da atuação nas salas comuns do ensino regular, nas salas de recursos, nos centros de atendimento educacional especializado, nos núcleos de acessibilidade, nas classes hospitalares e nos ambientes domiciliares, para oferta dos serviços e recursos de educação especial;
  • Contemplar conhecimentos de gestão do sistema educacional inclusivo, tendo em vista o desenvolvimento de projetos em parcerias com outras áreas, visando à acessibilidade arquitetônica, aos atendimentos de saúde, á promoção de ações de assistência social, trabalho e justiça;
  • Desenvolver estudos, através da pesquisa, que ampliem a qualidade de vida dos sujeitos da educação especial e qualifiquem os serviços e o campo conceitual da Educação Especial.

Estágios e TCC+

O Estágio Supervisionado é um componente obrigatório das Licenciaturas, conforme estabelece a legislação vigente, ou seja, o Parecer CNE/CP 27/2001, que alterou a redação do item 3,6, alínea ‘c’, do Parecer CNE/CP 9/2001.

No curso de Licenciatura em Educação Especial, o estágio obrigatório com carga horária de 420h deverá propiciar experiências pedagógicas em serviços de atendimento educacional especializado, nas áreas das deficiências, dos transtornos globais do desenvolvimento, altas habilidades/superdotação, e outras, presentes em unidades escolares da rede regular de ensino e em instituições congêneres. O estagiário deverá vivenciar situações que lhe permitam uma formação profissional que atenda às necessidades da educação, na sociedade, em especial da educação inclusiva.

O estágio curricular obrigatório está organizado por meio das seguintes disciplinas:

  • Introdução ao Estágio Supervisionado em Educação: 6 créditos;
  • Estágio Supervisionado em Educação Especial I: 8 créditos;
  • Estágio Supervisionado em Educação Especial II: 6 créditos;
  • Estágio Supervisionado em Educação Especial III: 8 créditos.

Trabalho de Conclusão de Curso

O Curso de Educação Especial deve estar alicerçado na pesquisa, como espaço para a produção de conhecimento, comprometido com o contexto da comunidade. Nesse sentido, a produção de uma monografia será estabelecida a partir de linhas de pesquisa estabelecidas para o curso, e cada aluno deverá ter um professor-orientador da área específica.

Visando ao desenvolvimento da pesquisa na área o Curso Educação Especial determina-se como requisito obrigatório, a elaboração de um trabalho monográfico, previsto para o último semestre do Curso, quando se acredita estar o aluno apto a uma produção científica mais consistente.

Linhas de pesquisa estabelecidas pelo curso

Políticas Públicas em Educação e Educação Especial, Alfabetização e Letramento na Educação Especial, Avaliação e Atendimento Educacional, Gestão em Educação Especial e Bidocência.

Carga horária

O Trabalho de Conclusão de Curso será desenvolvido como uma disciplina específica, com 05 créditos, ou seja, 75 horas-aula, com orientações coletivas e grupais (2 alunos). A orientação coletiva deverá totalizar, no semestre, 60 horas-aula. À produção grupal: para a produção da pesquisa, propriamente dita, serão destinadas 15 horas-aulas, distribuídas no semestre, até a defesa do TCC.

Dados Legais+

Araranguá:

  • Criação: Resolução CONSUN Nº 42, de 7/10/2009.
  • Abertura de Vagas: Resolução GR Nº 88, de 12/7/2011.
  • Reconhecimento: Portaria Nº 1.111 de 25/10/2017, publicada no D.O.U. de 26/10/2017.

Legislação:

  • Parecer CNE/CES nº 27/2001 e Parecer CNE/CP nº 9/2001;
  • Resolução CNE/CP nº 1/2002 e Parecer CNE/CP nº 28/2001;
  • Resolução CNE/CES nº 2/2002;
  • Portaria do Ministério da Educação nº 4.059/2004;
  • Decreto nº 5.626/2005;
  • Parecer CNE/CES nº 8/2007;
  • Resolução CNE/CES nº 2/2007;
  • Portaria Normativa MEC nº 147/2007 (instrumento de avaliação dos cursos de Graduação, Ministério da Educação);
  • Resolução nº 107/2007/CEE - Decreto nº 1097/2008, Lei nº 11.788 de 25/7/2008;
  • Decreto nº 6.755, de 29/1/2009, que Institui a Política Nacional de Formação de Profissionais do Magistério da Educação Básica, disciplina a atuação da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) no fomento a programas de formação inicial e continuada, e dá outras providências;
  • LDBEN 9394/96 (Capítulo V, da Educação especial, o Art. 59, inciso III, que assegura professores especializados aos educandos com necessidades especiais pelos sistemas de ensino);
  • Resolução CNE/CEB 2, de 11/2/2001, que Institui Diretrizes Nacionais para a Educação Especial na Educação Básica;
  • Política Nacional de Educação Especial na Perspectiva da Educação Inclusiva (MEC/2008);
  • Programa Pedagógico da Educação Especial do Estado de Santa Catarina (SEE/FCEE/SC, 2009).
  • Política de Educação Especial/SC (SEE/FCEE/SC, 2009).
  • Parecer CEE/SC Nº. 429, de 1/11/2009, que manifesta a legalidade da oferta do curso de Licenciatura em Educação Especial

Coordenação+

Mariléia Mendes Goulart
E-mail: marileia.goulart@unisul.br

Currículo Lattes